INFORMAÇÕES GERAIS

Neste ano tão desafiador, a UNIDAS mais uma vez abre espaço para que profissionais do setor apresentem trabalhos que promovam assistência de qualidade aos beneficiários de planos de saúde, e abre as inscrições para o PRÊMIO SAÚDE UNIDAS 2020.

Com a pandemia causada pelo novo coronavírus o tema para 2020 não poderia ser diferente: ações e iniciativas da operadora de saúde para o enfrentamento da Covid-19.

Além dos formatos tradicionais de publicação científica, com artigos originais e de revisão, o espaço está aberto também para relatos de caso, ou seja, qualquer conteúdo que estimule o compartilhamento de conhecimentos.

Os trabalhos ganhadores serão anunciados no 23º Congresso Internacional UNIDAS – Novas Perspectivas da Saúde: 2020 Como o Divisor de Águas, que será realizado de 11 e 13 de novembro de 2020.

A forma de apresentação dos pôsteres será comunicada no mês de outubro, após a classificação dos trabalhos.
Em caso de dúvida, mande uma mensagem para institucional@unidas.org.br.

COMO PARTICIPAR

Todos os resumos deverão estar de acordo com as orientações abaixo, a fim de serem submetidos à aceitação da Comissão Científica:

1. Os resumos deverão ser enviados, impreterivelmente, até o dia 16/10/2020, à Comissão Científica do Congresso, pelo e-mail: congresso@unidas.org.br.

2. O resumo completo deverá estar contido dentro do limite de uma folha A4, e enviado por e-mail em dois formatos: a) PDF com as assinaturas de todos os participantes do trabalho, datado e uma segunda versão e b) PDF, sem assinaturas, nomes dos autores nem nomes de empresas e/ou operadoras, para que seja enviado à comissão avaliadora sem identificação.

3. Deverá ser utilizado espaço simples, fonte Times New Roman ou Arial, em tamanho 12 e tinta preta.

4. Os resumos deverão ser escritos em português.

5. O título deve definir claramente o tema a ser abordado, ser impresso em letras maiúsculas, estar alinhado à margem esquerda, posicionado imediatamente abaixo da margem superior, e não deve conter abreviaturas nem siglas.

6. Após o título, pular uma linha e escrever o nome completo do primeiro autor, seguido pelos demais coautores, usando apenas as iniciais após o sobrenome (se o mesmo autor estiver apresentando mais de um resumo, certifique-se de que o nome do autor esteja escrito sempre da mesma maneira). Separar os nomes por ponto e vírgula. Incluir o nome da instituição onde se desenvolveu o trabalho, a cidade e o Estado, quando em uma localização específica, ou região geográfica ou Brasil, dependendo de um trabalho regional ou em todo ou grande parte do território brasileiro.

7. Pular uma linha e escrever o corpo do resumo.

8. O corpo do resumo, conforme exemplo na última aba, deve conter 5 parágrafos separados, para cada um dos seguintes tópicos, destacados em maiúsculas e negrito: objetivos, métodos, resultados e conclusões. Indicar o tópico ao início de cada parágrafo.

9. Abreviaturas padrões poderão ser usadas. Quando utilizá-las, use a palavra inteira na primeira vez que mencioná-la, seguida da abreviatura entre parênteses.

10. Não é permitido incluir quadros ou gráficos no resumo.

11. Nomes comerciais de medicamentos ou quaisquer outros produtos comerciais não são permitidos, devendo ser usados os nomes genéricos.

12. Eventuais apoios ou patrocínios devem ser indicados ao final do resumo, quando cabível. A não divulgação do patrocínio, quando houver, desqualificará o resumo.

A inscrição de um resumo constitui um compromisso do(s) autor(es) em apresentar o trabalho da maneira como foi aceito. Despesas referentes à preparação, inscrição, deslocamento, hospedagem e apresentação dos trabalhos são de inteira responsabilidade dos autores.

Os resumos serão classificados de acordo com seu valor científico e sua originalidade.

A Comissão Científica do Congresso reserva-se o direito de recusar trabalhos, baseando-se nos critérios citados para elaboração do resumo e no valor científico do trabalho.

A notificação de aceitação ou recusa do trabalho será postada no site da UNIDAS até o dia 30/10/2020.

Importante: cada trabalho aceito requer a participação no Congresso de pelo menos um dos autores ou coautores.

 

Os critérios utilizados para a premiação serão o valor científico e originalidade do tema.
Os autores premiados receberão certificado e troféu, de acordo com a classificação em primeiro, segundo e terceiro lugares, além de serem convidados a apresentar os trabalhos no 12º Seminário UNIDAS, a ser realizado em 2021.

AVALIAÇÃO DO PÉ DIABÉTICO COMO EXPRESSÃO DA RESOLUTIVIDADE DA ATENÇÃO PRIMÁRIA NA SAUDE SUPLEMENTAR
Pinheiro, Márcia Cristina Chagas Macedo; Areas, M C; Daltro, K H P; Andrade, M G M D; Braga, G Cesar; A R R;

OBJETIVOS: Em 2011 foram registradas 1374 mil internações por complicações de Diabetes Mellitus (D.M.) no país. (Vigitel, 2011) Destas, 20% referêm-se’a complicações do pé diabético (27,4 mil). O pé diabético, ocorre em média após dez anos de evolução da doença, e é uma das complicações mais frequentes do diabetes. Se caracteriza pela presença de lesões nos pés em decorrência das alterações tróficas; vasculares e/ou neurológicas e possui importância epidemiológica por ser a causa mais comum de amputações não traumáticas. Por este motivo, a adoção de ações educativas 6 medidas preventivas na atenção primária que contemplem a avaliação sistemática dos pés do paciente diabético é essencial na identificação dos fatores de risco e na redução das chances de ulceração e amputação. O objetivo deste estudo é avaliar se há redução de incidência dos casos de internação por pé diabético nos pacientes da CASSI, com diagnóstico de D.M. comparando o desfecho interação entre pacientes monitorados pela atenção primária e entre os não monitorados, visando a verificar se entre os monitorados há redução do risco de instalação da síndrome do Pé Diabético e consequentemente das Interações por esta causa.

MÉTODOS: Pa compor à população de estudo foram selecionados 2152 participantes do plano “residentes na cidade do Rio de Janeiro inscritos na Política de Assistência Farmacêutica que utilizam medicamentos para D.M. O período de análise compreendeu os meses de janeiro a julho de 2018. A população foi dividida entre participantes que realizam acompanhamento na atenção primária (AP) por no mínimo 3 anos (1315 pacientes) e participantes plano – diagnosticados com D.M. que não são acompanhados. na AP, (837 pacientes). Foi realizado o levantamento dos registros eletrônicos disponíveis no prontuário eletrônico bem como. aqueles relativos à utilização do plano de saúde, quanto ao número de internações por complicações vasculares em decorrência da diabetes mellitus; os valores referentes à diária hospitalar, medicamentos, serviços diagnósticos e de profissionais de saúde com o objetivo de aferir as despesas assistenciais nos dois grupos pesquisados.

RESULTADOS: Observou-se maior utilização da rede credenciada por complicações associadas ao DM nos participantes não acompanhados na AP dentre eles, 92 pacientes foram hospitalizados por complicações vasculares enquanto que, no grupo acompanhado na AP observamos 22 internações pela mesma causa. A quantidade de intercorrências no grapo sem acompanhamento foi 4 vezes maior do que o número de pacientes acompanhados.

CONCLUSÕES: No período estudado verifica-se que há redução de. 75% das internações por complicações da DM dos participantes monitorados pela AP em comparação com o grupo não monitorado. O cuidado sistemático desenvolvido pelas equipes da estratégia saúde da família reduziram o risco de. instalação da síndrome do pé diabético e consequentemente o surgimento de úlceras e suas complicações. Com relação ao desfecho internação por complicações de D.M. o monitoramento dos participantes inscritos na atenção primária se constituiu na medida mais efetiva para evitar internações prolongadas, amputações e custos hospitalares desnecessários.

DÚVIDAS E INFORMAÇÕES
institucional@unidas.org.br
11 3289.0855