3 de março de 2021 – N.º 1.603

UNIDAS e CADE se reúnem para falar sobre o mercado de saúde

Na última segunda-feira (1º), a UNIDAS se reuniu com representantes da superintendência-geral do Conselho Administrativo de Defesa Econômica (CADE), para debater sobre o mercado de saúde brasileiro.

Representaram a UNIDAS Anderson Mendes (presidente), Leandro Araujo (gerente executivo) e José Luiz Toro (consultor jurídico). Pelo CADE participaram Patricia Alessandra Morita Sakowski (superintendente adjunta), Mário Sérgio Rocha Gordilho Júnior e Patrícia Semensato Cabral (coordenadores gerais), Lílian Santos Marques Severino (economista adjunta), Ricardo Medeiros de Castro e Letícia Ribeiro Versiani (coordenadores), José Carlos Oliveira Assis Júnior, Giuliana Magalhães Rigoni Grabois e Roberta Ludwig Romancini Silva (analistas de comércio exterior), Tarcisio Henke Fortes (analista de planejamento e orçamento), Beatriz Pierri, Danielle Kineipp de Souza, Franklin Magalhães Gonçalves, Heloisa Solino Evelin e Marcelo Pacheco Bastos.

Durante o encontro, o CADE alegou que o setor de serviços de saúde do Brasil vem passando por transformações importantes, como aumento de concentração, verticalizações, entre outras, que demandam cada vez mais conhecimento de seus técnicos. Por esta razão, o órgão convidou a UNIDAS para expor sua visão atual e sobre o futuro.

O presidente Anderson Mendes reforçou a importância das autogestões para o setor de saúde brasileiro e falou sobre cenários para o futuro. Ele registrou, entre outros pontos, a questão do modelo de remuneração predominante, focado no pagamento por produtividade e não por entrega de valor em saúde (qualidade) e sobre a busca constante de modelos de saúde sustentáveis, pois a variação do custo médico-hospitalar, cujos patamares têm sido quatro vezes maiores que a inflação nos últimos anos, torna insustentável para os beneficiários manterem seus planos de saúde.

Durante o encontro o CADE informou que, paralelamente a esta reunião, vem discutindo outras questões relacionadas a área de saúde, entre elas, assuntos relacionados a OPME, além de referenciais de preços para materiais e medicamentos, publicados nas revistas Brasíndice e Simpro (conforme documento no fim do texto).

Ao final, os representantes agradeceram a UNIDAS pela reunião e mencionaram que foi de extrema relevância entender a visão do sistema de saúde suplementar pela ótica as autogestões.

Você pode acessar um exemplo de ações em curso no mercado de saúde clicando aqui.

 #vocêconstróiaUNIDAS #aUNIDAStornavocêmaisforte #autogestãoéUNIDAS