13 de março de 2020 – nº 1.384

Coronavírus: comunicado oficial da UNIDAS

 

A UNIDAS – Autogestão em Saúde tem acompanhado as discussões junto ao governo e aos órgãos reguladores, para definir estratégias e ações no combate ao novo coronavírus (Covid-19). Após a reunião extraordinária da Agência Nacional de Saúde Suplementar (ANS), que incluiu o exame de detecção do vírus no rol de procedimentos e eventos em saúde, e ao anúncio da Organização Mundial da Saúde (OMS), declarando uma pandemia, a UNIDAS informa que estabeleceu os principais pontos de atenção e linhas de atuação.

“As autogestões prestarão toda a assistência necessária a seus beneficiários. Nossos parceiros e profissionais de saúde têm o dever de avaliar, diagnosticar e tratar os pacientes que contraírem o coronavírus. No entanto, é preciso ter critérios bem estabelecidos e cautela para a solicitação do exame de detecção”, afirma o presidente da UNIDAS, Anderson Mendes.

De acordo com ele, é necessário acompanhar de que maneira o Ministério da Saúde organizará a demanda e o fluxo de atendimento nas unidades de saúde, com foco nos pacientes prioritários.

Para o presidente da UNIDAS, caso os critérios não sejam seguidos, as operadoras terão um aumento de custo e desequilíbrio financeiro, consequência deste cenário não previsto. A situação econômica atual, principalmente a alta expressiva do dólar, também traz um cenário de imensa preocupação com a sustentabilidade de nossas instituições.

Vale lembrar que as autogestões concentram em suas carteiras quase 30% de idosos, mais que o dobro da média da saúde suplementar. Na tentativa de minimizar o impacto para as filiadas e prestar a melhor assistência a esses beneficiários, mais sensíveis à pandemia, a UNIDAS defenderá nas próximas reuniões junto à ANS uma flexibilização regulatória temporária, além de uma contrapartida da agência para auxiliar as operadoras do segmento nesta situação.